Em fase experimental, 37 câmeras vigiam pontos estratégicos do Plano Piloto

    0
    279

    O Governo do Distrito Federal (GDF) começou a instalar nesta quarta-feira (25) as 37 câmeras fixas e móveis que farão monitoramento e reforçarão a segurança em pontos estratégicos da área central de Brasília. A medida faz parte da política de Policiamento Inteligente Integrado, inaugurada há um ano pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) do DF.

    “A tecnologia será mais uma aliada dos órgãos de segurança. Como não é possível manter um policial em cada esquina ou na porta de cada escola, faremos o monitoramento usando essa ferramenta”, destacou o secretário em exercício de Segurança Pública do DF, Suamy Santana.

    As imagens captadas pelas câmeras serão acompanhadas pela Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade), da Subsecretaria de Integração e Operações de Segurança Pública (Siosp) da SSP-DF. Policiais civis e militares estão sendo treinados para realizar o monitoramento dos vídeos. Durante 24 horas por dia, sete dias por semana, três pontos com dois monitores cada um e um telão receberão as imagens dos Setores Hoteleiros Sul e Norte, Setores de Diversões Sul e Norte e Eixo Monumental.

    Suamy Santana explica que as câmeras irão ajudar no policiamento ostensivo. “Com esses equipamentos, vamos melhorar a prevenção de crimes”, avaliou.

    Outra iniciativa em andamento é a celebração de acordos com órgãos públicos que dispõem de câmeras de vigilância para que a SSP-DF também receba as imagens captadas por esses equipamentos e amplie a cobertura da vigilância. É o caso das câmeras do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) do Distrito Federal, instaladas nos Eixos Rodoviários Sul e Norte.

    Também está em negociação o compartilhamento de imagens captadas por câmeras instaladas pelo governo federal, por meio do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), em algumas áreas do DF. O projeto contempla ainda a celebração de parcerias com a iniciativa privada como hotéis, shoppings e outros estabelecimentos que possam ceder imagens de áreas públicas.

    fonte: Agência Brasilia

    Artigo anteriorARUC decide dar um crédito de confiança ao governador Agnelo e vai desfilar na Ceilândia
    Próximo artigoNota Legal