Terceirizados de escolas e hospitais públicos do DF decidem ampliar greve

    0
    158
      Prestes a completarem, na próxima sexta-feira (7/7), dois meses sem receber salário, cerca de 900 empregados de serviços terceirizados de limpeza e conservação em escolas públicas do Plano Piloto, Guará, Planaltina, Paranoá, São Sebastião, Sobradinho e Brazlândia decidiram, na manhã desta terça-feira (4/7), ampliar a greve da última sexta (30/6). A promessa de paralisação fez com que o primeiro salário fosse pago logo após a decisão, no período da tarde. Caso o segundo pagamento não seja feito até o fim desta semana, os funcionários prometem cruzar os braços a partir da próxima segunda-feira (10/7). Leia mais notícias em Cidades  Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Trabalho Temporário, Prestação de Serviços e Serviços Terceirizáveis no Distrito Federal (Sindiserviços-DF), os trabalhadores estão passando por sérias dificuldades financeiras e alguns pararam de ir ao trabalho por falta de dinheiro para pagar pelo transporte.
    Artigo anteriorAlok e Anitta anunciam parceria: “Vem novidade por aí”
    Próximo artigoOperação Genebra: 13 suspeitos de favorecer Cruz Vermelha são denunciados