MP pede investigação de denúncia de Jaqueline contra Manga

0
33

O Ministério Público Eleitoral (MPE) se manifestou favoravelmente à abertura de inquérito criminal pela Polícia Federal para apurar suposto crime eleitoral cometido pelo candidato a prefeito de Sorocaba Rodrigo Manga, do Republicanos, da coligação “A mudança vai começar”.

No parecer reportado ao juiz eleitoral Emerson Tadeu Pires de Camargo, o MPE considera procedente a representação da coligação “Sorocaba, força e união para crescer”, da candidata à prefeita Jaqueline Coutinho (PSL), que tem como base um vídeo de uma reunião eleitoral na qual Manga e ao menos uma correligionária estariam arregimentando apoiadores para prática de boca de urna no dia da eleição do segundo turno.

Retomada econômica preocupa Jaqueline
Jaqueline Coutinho, candidata à reeleição pelo PSL. Crédito da foto: Fábio Rogério (10/11/2020)

Em nota, a campanha de Manga afirma que “mais uma vez, a exemplo do primeiro turno, a coligação da candidata Jaqueline Coutinho ingressa com mais uma ação sem fundamento legal, cujo único objetivo é criar fatos jornalísticos que produzam algum efeito eleitoral”.

Área da saúde é prioritária para Manga
O candidato Rodrigo Manga (Republicanos). Crédito da foto: Fábio Rogério (10/11/2020)

O candidato diz, ainda, que o referido vídeo foi editado e as falas retiradas do seu contexto original. Fato que, segundo ele, será comprovado em momento oportuno. “Vejo com muita tranquilidade todos esses acontecimentos, pois lideramos todas as pesquisas e essa forma de fazer política já era esperada por alguém que não tem outra alternativa senão me atacar”, diz Rodrigo Manga.

Em ofício subscrito pelos promotores eleitorais de todas as cinco zonas eleitorais de Sorocaba (137ª , 271ª, 342ª, 343ª e 356ª), o MPE pede à Justiça Eleitoral que requisite à Polícia Federal a urgente instauração de inquérito policial para apurar suposto crime eleitoral.

O MP também recomenda que seja dada ciência dos autos aos juízes eleitorais da Comarca de Sorocaba, para que os mesmos “reforcem as orientações a serem prestadas aos mesário, servidores da Justiça Eleitoral, polícias civis e militares que forem trabalhar no dia da eleição, a fim de se buscar evitar a consumação do delito eleitoral”.

A representação se baseia em um vídeo de uma reunião com vereadores eleitos e apoiadores, que teria ocorrido no último dia 17, na qual Manga e Samyra Toledo, delegada da coligação e ex-oficial de gabinete do vereador, estariam cometendo ilícito penal eleitoral.

Da referida gravação, o MPE destaca uma fala de Manga, na qual ele se refere a “ajuda de custo” aos apoiadores. Já Samyra, no vídeo, estaria arregimentando apoiadores para atuarem como fiscais em locais de votação, “dando aquele abraço na pessoa que você conhece” e “falando pra não esquecer que é ‘dez’, disfarçadamente”.

No ofício do MPE, os promotores assinalam que “a narrativa fática exposta no vídeo apontado indica, em tese, suposta e eventual prática de conduta que tangencia o crime”, e que dependerá de maiores elementos de prova, motivo pelo qual são necessárias diligências urgentes por parte da Polícia Judiciária Federal. (Felipe Shikama)

O post MP pede investigação de denúncia de Jaqueline contra Manga apareceu primeiro em Jornal Cruzeiro do Sul.