Padrasto que abusava de enteada será julgado por atentado violento ao pudor

    0
    310

    Um idoso foi preso na manhã de ontem acusado de estuprar a enteada durante nove anos. A vítima chegou a ser submetida a exames que teriam comprovado o abuso sexual em 2000, quando ela tinha 10 anos, mas a jovem escondeu a autoria do crime, com medo de represálias. Segundo a polícia, o acusado continuou a molestar a jovem até 2008. Somente no ano passado, aos 21, ela denunciou o padrasto. O pedreiro Ermínio Francisco Alves, 67, foi surpreendido por policiais civis do Novo Gama (GO), quando chegava para trabalhar em uma creche do bairro Lago Azul. Ele confessou os abusos.

    De acordo com o delegado-chefe do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) do Novo Gama, André Veloso, o primeiro abuso ocorreu na cozinha da casa em que o acusado morava com a mulher e a enteada, no bairro goiano. “A menina ficou com muitos ferimentos e precisou ser encaminhada a um posto de saúde, mas, com medo, disse à família que tinha sido vítima de um desconhecido”, informou Veloso. Logo após o fato, Ermínio registrou a garota como filha dele. “Ele fez isso só para ocultar o crime que cometeu. Mas continuou molestando a garota até ela completar 18 anos”, acrescentou o delegado.

    A vítima fez a denúncia em dezembro de 2011. Os investigadores conseguiram gravações de ligações do acusado para a enteada. “Nos telefonemas, ele queria marcar encontros com ela e fazia alusão ao crime de 11 anos atrás”, detalhou André Veloso. O delegado informou que pediu ao posto de saúde de Santa Maria o exame que a vítima realizou aos 10 anos. “Mesmo que a gente não tenha acesso a esse documento, o depoimento da jovem e o do acusado, que confessou o crime, são suficientes”, explica.

    A mãe da garota, segundo as investigações, só descobriu o crime do marido com a denúncia da filha. A reportagem tentou falar com as duas, mas, ontem, ninguém estava na casa da família, no Lago Azul. Como o estupro ocorreu quando vigorava a lei antiga para esse tipo de crime, Ermínio Francisco será julgado por atentado violento ao pudor e não por estupro. A pena, nesse caso, é de até 10 anos, com agravante por ele ser padrasto da vítima.

    Memória

    Abril de 2011
    Policiais da 20ª Delegacia de Polícia (Gama) prenderam um homem acusado de estuprar as duas enteadas, de 10 e 12 anos. De acordo com os investigadores, o ajudante de pedreiro, de 31 anos, confessou o crime em depoimento. Segundo a mãe das meninas, o abuso ocorreu na casa da família, no Gama. A dona de casa saiu para comprar um cadeado e teria esquecido o celular em casa. Ao retornar para buscá-lo, a filha mais velha contou que o padrasto a chamou para o quarto e a abusou.

    Junho de 2011
    Quatro homens foram presos acusados de molestarem uma menina de 11 anos, em São Sebastião. Entre os envolvidos no caso estão o padrasto, de 58 anos, e três tios maternos da criança. De acordo com a polícia, os abusos aconteciam desde que a garota tinha 9 anos. Os acusados ofereciam dinheiro e doce à menina para que pudessem praticar o crime.

    Junho de 2011
    A mãe de uma criança de 12 anos registrou uma ocorrência de estupro contra o companheiro na 24ª DP de Ceilândia. De acordo com o delegado, o comerciante, de 22 anos, se aproveitava da ausência da mãe aos domingos para cometer os abusos sexuais. Os estupros aconteciam havia 20 dias — o último foi registrado em 7 de junho do ano passado.

    Fonte: http://migre.me/7GAN8

    Artigo anteriorDiretor-geral do Dnocs pede exoneração do cargo após denúncia
    Próximo artigoVistoria da Unesco que avaliará tombamento encontrará problemas antigos