Contadora de histórias trabalha desde cedo o respeito à diversidade

    0
    320
    “Zip, zap, zup…” Não mais do que essas três palavras são necessárias para que a contadora de histórias e futura pedagoga Verônica da Silva consiga a atenção dos alunos. As crianças, sentadas em carteiras dispostas de modo enfileirado por toda a sala, mudam para um estado de silêncio quase que absoluto. Os olhares, ansiosos e imaginativos, voltam-se para um mesmo ponto: a frente da classe. O motivo? A história que está prestes a começar.
    Artigo anteriorDistrito Federal registra queda de 9,5% nas doações de órgãos
    Próximo artigoMotorista morre após capotar o carro na BR-080 durante a madrugada