Professor acusado de assédio por alunas é suspenso da UnB por 60 dias

    0
    264
    A Universidade de Brasília (UnB) suspendeu por 60 dias o professor de audiovisual  Mauro Giuntini, que lecionava na Faculdade de Comunicação (FAC), após acusações de assédio. O ato, assinado pela reitora Márcia Abrahão, foi publicado na terça-feira da semana passada (18/4) e reconhece que Giuntini infringiu a lei que dispõe sobre o comportamento exigido do servidor público. Em dezembro de 2015, o Conselho da FAC enviou à reitoria um dossiê com relatos de alunas que teriam sido vítimas dele, em sala de aula. O documento, organizado pelo Centro Acadêmico de Comunicação Social (Cacom/UnB), apresentou relatos de que o docente fazia comentários machistas e obrigava as jovens a ficarem em posições constrangedoras durante atividades da disciplina.
    Artigo anteriorChuvas continuam escassas no Distrito Federal
    Próximo artigoAudiência pública discute reajuste anual na tarifa de água e esgoto do DF