GDF -Alunos de escolas públicas do DF terão videoaulas

0
156

Secretaria de Educação do Distrito Federal vai transmitir aulas por meio eletrônico para os estudantes das escolas públicas. Para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus, o governo do DF (GDF) fechou as portas dos colégios.

Para salvar o ano letivo dos estudantes, o GDF decidiu transmitir as aulas por vídeo. “Desde o primeiro dia do recesso, nossa equipe está reunida e elaborando projeto para oferecermos educação a distância”, pontuou.

De acordo com Ferraz, o programa pedagógico e os conteúdos se encontram prontos para transmissão. “Nós estamos desesperados em busca de uma solução rápida. Estamos correndo”, afirmou. O governo analisa quais serão as formas de transmissão e acesso.

Uma das possibilidades é a internet. Por aplicativo, professores poderão transmitir aulas, deveres e provas para os estudantes. Segundo pesquisa, 90% dos estudantes possuem celular smartphone ou equipamento para conexão.

Crianças carentes

“Mas nem todas as crianças tem acesso à internet ou equipamentos adequados”, ponderou Ferraz. Por isso, a Secretaria de Educação do DF também está avaliando a transmissão pela televisão.

“Provavelmente não vamos atingir 100% dos estudantes. Mas queremos atender pelo menos menos 90% das crianças. Já é um alento”, assinalou. “A gente quer salvar o máximo de conteúdo nesse período em que as crianças ficarem em casa”, ressaltou.

A pasta pode inclusive transmitir, simultaneamente, aulas na internet e pela TV. O GDF também avalia encaminhar material didático para casa de crianças carentes ou que possuem condições específicas.

Orçamento

Segundo secretário, o valor do investimento ainda não está definido. Caso a solução escolhida seja a internet, o GDF poderá fazer um chamamento público para a compra e oferta dos acessos. A pasta também não concluiu o orçamento da compra de espaços pela TV.

“O governador Ibaneis Rocha está à frente dessas ações. Determinando que façamos o máximo com rapidez. E se encontra diretamente envolvido na obtenção de recursos”, revelou. Ainda não há data para o começo das transmissões.

Diante da crise do coronavírus, Ferraz considera que o calendário escolar poderá adentrar em dezembro de 2020 e janeiro de 2021. “Estamos fazendo o possível para que os alunos não percam o ano letivo. Queremos repor todo conteúdo perdido”, concluiu.

Deixe uma resposta