Oito livros infantis para ensinar crianças sobre feminismo e racismo

0
13

É obrigação dos pais desta nova geração criar crianças mais empáticas e sensíveis às desigualdades sociais e raciais. Uma forma eficiente de concretizar essa missão é expor os pequenos a realidades diferentes através dos livros infantis. Cada dia que passa, as editoras estão publicando narrativas mais emocionantes e diversas. O Metrópoles selecionou alguns livros para ajudar as famílias a quebrar o ciclo.

Amor de cabelo, de Matthew A. Cherry, por R$38,41
O livro é inspirado no filme vencedor do Oscar de melhor curta metragem de animação. O pai de Zuri tenta ajudá-la a fazer um penteado para celebrar um dia especial. Para deixar a filha feliz, ele aprende a diferença entre trança nagô e trança twist. Comovente e empoderador, o livro enaltece o carinho ao próprio cabelo, o amor entre pais e filhas e a felicidade que preenche aqueles que podem se expressar livremente.

Frida Kahlo: Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?, de Jean-Luc Cornette, por R$ 29,09
O livro conta a história dos quatro anos em que Leon Trotsky — forçado ao exílio após a ascensão de Josef Stalin ao poder — morou no México. Ao lado de Frida e seu marido, o pintor Diego Rivera, o russo viveu aventuras que marcaram profundamente o século 20.

Histórias de ninar para garotas rebeldes: 100 fábulas sobre mulheres extraordinárias, de Elena Favilli e Francesca Cavallo, por R$ 44,91
Histórias sobre a vida de mulheres extraordinárias do passado e do presente, ilustradas por 60 artistas do mundo inteiro.

O Pequeno Príncipe Preto, de Rodrigo França, por R$25,99
O protagonista dessa história vive em um minúsculo planeta. Além dele, existe apenas uma árvore Baobá. Quando chegam as ventanias, o menino viaja por diferentes planetas, espalhando o amor e a empatia. O texto é originalmente uma peça infantil que já rodou o país inteiro. Agora, Rodrigo França traz essa delicada história no formato de conto.

Violeta Parra. Para Meninas e Meninos, de Nádia Fink, por R$20,70
O livro embarca em uma máquina do tempo para apresentar a vida de Violeta Parra, uma artista chilena que sentiu seu povo muito perto do coração.

As Cientistas: 50 Mulheres que Mudaram o Mundo, de Rachel Ignotofsky, por R$35,93
O livro destaca as contribuições de cinquenta mulheres notáveis para os campos de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Entre as perfiladas, estão figuras bem conhecidas, como a primatologista Jane Goodall e a química Marie Curie, e outras nem tanto, como Katherine Johnson, física e matemática afro-americana que calculou a trajetória da missão Apolo 11 de 1969 à lua.

Amoras, de Emicida, por R$ 19,90
A partir da música Amoras, Emicida escreveu seu primeiro livro infantil. O rapper mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulharmos de quem somos.

Malala, a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca, por R$ 19,90
Malala Yousafzai quase perdeu a vida por querer ir para a escola. A jornalista Adriana Carranca visitou o vale do Swat dias depois do atentado, hospedou-se com uma família local e conta neste livro tudo o que viu e aprendeu por lá. Ela apresenta às crianças a história real dessa menina que, além de ser a mais jovem ganhadora do prêmio Nobel da Paz, é um grande exemplo de como uma pessoa e um sonho podem mudar o mundo.

O post Oito livros infantis para ensinar crianças sobre feminismo e racismo apareceu primeiro em Metrópoles.