Palmeiras derrota o Bolívar por 2 a 1 na altitude de La Paz

0
18
Palmeiras derrota o Bolívar por 2 a 1 na altitude de La Paz
A vitória a 3,6 mil metros manteve os 100% de aproveitamento do Verdão no Grupo B, que lidera com nove pontos. Crédito da foto: César Greco /  Agência Palmeiras (16/9/2020)

Sem ser brilhante, mas com uma atuação segura e inteligente, o Palmeiras ganhou nesta quarta-feira (16) do Bolívar por 2 a 1, no retorno da Copa Libertadores, com gols de Willian e Gabriel Menino. Com três vitórias em três jogos, o Palmeiras lidera o Grupo B, agora com nove pontos, fechando o primeiro turno com 100% de aproveitamento e muito perto da vaga no mata-mata. O Bolívar, com três pontos, em segundo, pode ser ultrapassado pelo Tigre, da Argentina, que enfrenta hoje (17) o Guaraní, do Paraguai.

Como acontece com praticamente todos os adversários que encaram o ar rarefeito de La Paz, o Palmeiras sofreu fisicamente nos 3,6 mil metros de altitude. No entanto, conseguiu fazer uma etapa inicial razoável e se soltar com o desenrolar do jogo. Até que, aos 31 minutos, Rony foi lançado por Marcos Rocha na esquerda, entrou na área e foi derrubado por Jusino, que cometeu um pênalti infantil: o palmeirense estava quase na linha de fundo, de costas para o gol e sem ângulo. Willian converteu no canto direito e abriu o placar.

No segundo tempo, os bolivianos começaram apostando nas bolas aéreas, mas a zaga palmeirense se saiu bem em todos os lances. E o Verdão ampliou a vantagem com um golaço de Gabriel Menino. O jovem meio-campista usou a altitude a seu favor para dar velocidade à bola e acertou uma pancada de longe que encontrou o ângulo direito de Rojas aos 14 minutos. Foi seu primeiro gol desde que foi promovido aos profissionais.

De tanto insistir pelo alto, o Bolívar conseguiu chegar dessa maneira ao seu gol aos 22 minutos. Após cobrança de escanteio, a defesa do Palmeiras vacilou, Gutierrez desviou na primeira trave e Riquelme, livre, só empurrou para as redes. Os donos da casa intensificaram a pressão, sempre apostando nas bolas cruzadas na área. O cansaço fez com que Luxemburgo mandasse os jovens Danilo e Gabriel Verón para campo, além de Vitor Hugo e Gustavo Scarpa. E ele, no final, acertou o travessão em cobrança de falta.

O Palmeiras volta a jogar pela Libertadores na quarta-feira, dia 23, contra o Guaraní, no Paraguai. Antes, no domingo, às 16h, enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, pela 11ª rodada do Brasileirão. (Estadão Conteúdo)

Bolívar 1 x 2 Palmeiras

Bolívar – Rojas; Bejarano, Jusino, Gutierrez, e Flores; Oviedo, Saavedra (Anderson Emanuel), Machado (Rey) e Fernández (Ábrego); Juan Carlos Arce e Riquelme. Técnico: Cláudio Vivas

Palmeiras – Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Viña; Ramires (Bruno Henrique) Gabriel Menino e Zé Rafael (Gustavo Scarpa); Raphael Veiga (Danilo), Rony (Gabriel Veron) e Willian (Vitor Hugo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Gols – Willian, aos 33 minutos do primeiro tempo. Gabriel Menino, aos 14, e Riquelme, aos 22 minutos do segundo tempo

Árbitro – Piero Maza (Chile)

Cartões amarelos – Zé Rafael, Gabriel Menino, Bruno Henrique e Danilo (Palmeiras)

Local – Estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia

O post Palmeiras derrota o Bolívar por 2 a 1 na altitude de La Paz apareceu primeiro em Jornal Cruzeiro do Sul.