Policial penal do DF estuprava enteada de 13 anos com permissão da mãe

0
371

Preso, servidor foi levado para uma ala onde ex-policiais cumprem pena, no Centro de Internamento e Reeducação (CIR), no complexo da Papuda

Um policial penal do Distrito Federal foi condenado a 20 anos de prisão por estupro de vulnerável cometido contra a própria enteada, de 13 anos. Preso, Francisco das Chagas vai cumprir pena em regime fechado, após a decisão condenatória cumprida no último domingo (2/6).

A companheira dele, Samara Conceição, também foi condenada a 10 anos de prisão por ter conhecimento sobre os abusos e não ter tomado providências ou denunciado o crime às autoridades. Os estupros teriam ocorrido há cerca de 10 anos, quando a menina tinha 13, e teria durado até ela completar 15.

A vítima criou coragem para denunciar os abusos apenas dois anos depois. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) instaurou inquérito e indiciou o casal. Após o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) oferecer denúncia, a ação penal teve início.

Encarcerados 

A coluna apurou que o servidor foi levado para uma ala onde ex-policiais cumprem pena, no Centro de Internamento e Reeducação (CIR). Mesmo condenado a duas décadas de prisão, Francisco das Chagas ainda pertence aos quadros da Polícia Penal.

Procurada, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seape), informou a situação profissional do policial. ” O servidor já foi afastado das suas funções e foi instaurado processo administrativo, em consonância ao artigo 92 do Código Penal Brasileiro”, disse a pasta em nota.

Já a companheira de Francisco das Chagas foi isolada em uma cela no Presídio Feminino do DF (PFDF), por ser casada com um policial penal.

Artigo anteriorPrazo para indicar créditos do Nota Legal em conta vai até 30 de junho
Próximo artigoGovernador entrega novo campo de grama sintética do Taguaparque