Hélio Doyle analisa as práticas do poder em “Assim é a Velha Política”

    0
    224
    Tony Winston/Agência Brasília

    “Assim é a Velha Política”, novo livro do jornalista Hélio Doyle, traz logo no título uma provocação. O escritor, que integrou a equipe do governador Rodrigo Rollemberg até maio de 2015, exibe sua insatisfação com as práticas enraizadas no Estado brasileiro: fisiologismo e troca de favores. A obra será lançada nesta terça-feira (15/8), às 19h, no restaurante Carpe Diem (104 Sul).

    Hélio Doyle analisa a cena política, principalmente a atual gestão do Palácio do Buriti. Durante cinco meses, ocupou o cargo de secretário da Casa Civil. Um ano após deixar o posto, passou a escrever para o “Jornal de Brasília”. O livro conta com as 143 colunas produzidas pelo jornalista nessa recente passagem pelas redações.

    “São análises atemporais, por isso decidi publicá-las”, explica Doyle. “Na obra, trago impressões que fogem do noticiário factual. Por exemplo, acredito que a atual gestão do GDF perdeu uma oportunidade de modernizar a política no plano local. Mostro isso nos textos”, conclui.

    De um ponto de vista privilegiado, o autor comenta o surgimento e o desenvolvimento de grandes questões governamentais, como a regulamentação da Uber e o imbróglio judicial envolvendo o Centro Administrativo do GDF, localizado em Taguatinga.

     

    Divulgação

    Livro reúne 143 colunas do jornalista

     

    Nova política
    Até mesmo Doyle tem certa dificuldade em afirmar o que seria renovação do campo político. A definição, na maior parte das vezes, vem pela negação. O novo é o diferente do velho, caracterizado pela corrupção, fisiologismo e “toma lá dá cá” de cargos.

    O modelo atual se esgotou. As instituições se desgastaram. Porém, é difícil definir o novo. Todas as oportunidades de qualificar o debate são desperdiçadas. Estamos vendo as classes dirigentes pensar em 2018 como uma salvação, não uma passagem. Aí criam ‘distritão’ e o fundo de financiamento público

    Hélio Doyle

    Nascido no Rio de Janeiro, Doyle chegou ao DF com 10 anos de idade. Seu nome é conhecido na capital, tanto no meio jornalístico quanto nos acadêmico e político. Escreve sobre o que conhece. Hélio Doyle passou pelas redações de diversos jornais e atuou em três governos diferentes, como secretário de Governo, chefe de gabinete de Articulação Institucional, chefe da Casa Civil e secretário de Comunicação Social.

    Lançamento do “Assim é a Velha Política”
    Terça (15/8), às 19h, no Carpe Diem (104 Sul). O livro será vendido no local por R$ 40.

    Artigo anterior“Não me considero uma pessoa masculina”, afirma Ed Sheeran
    Próximo artigoHomem encontrado morto em DP do Recanto não estava sozinho na cela