FUA completa 56 anos se modernizando, sem esquecer seus princípios

0
18





FUA completa 56 anos se modernizando, sem esquecer seus princípios estatutários
A sede administrativa da FUA, Redação e gráfica do jornal Cruzeiro do Sul funcionam no Alto da Boa Vista. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (8/6/2020)

A Fundação Ubaldino do Amaral (FUA) completa 56 anos nesta sexta-feira (31). A FUA foi oficialmente constituída no dia 31 de julho de 1964, dentro da Loja Maçônica Perseverança III, de Sorocaba. Nasceu a partir da compra da Editora Cruzeiro do Sul S/A, avalizada pelos seus 21 instituidores. A data coincide, inclusive, com os 151 anos de criação da Perseverança III, fundada em 31 de julho 1869.

A Fundação atua em três principais pilares sociais, sendo eles a Comunicação, com o jornal Cruzeiro do Sul, a Educação, por meio do Colégio Politécnico de Sorocaba, e a Filantropia, com o assessoramento a entidades.

A FUA

O nome do patrono da instituição é uma homenagem a Ubaldino do Amaral Fontoura (1842-1920), um dos fundadores da Perseverança III e da Estrada de Ferro Sorocabana (EFS). Integrante do movimento abolicionista, Ubaldino trabalhou como jornalista, em Sorocaba, antes de ir para o Rio de Janeiro. Lá, atuou como advogado e como político. Foi, inclusive, intendente (cargo equivalente a prefeito) local e senador da República, bem como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

A FUA é administrada por um Conselho Superior, formado por 84 membros, e por uma Diretoria Executiva, eleita a cada biênio pelo Conselho Superior, órgão supremo da Fundação. Todos os conselheiros e diretores desempenham suas funções de forma voluntária e abnegada, não recebendo qualquer remuneração, vantagem ou benefício.

FUA completa 56 anos se modernizando, sem esquecer seus princípios estatutários
César Augusto Ferraz dos Santos, presidente do Conselho de Administração da FUA. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (8/6/2020)

Ao longo do tempo, a Fundação vem se modernizando e se adaptando às necessidades da atualidade, mas sem perder seus princípios estatuários, destaca César Augusto Ferraz dos Santos, presidente do Conselho de Administração da FUA.

Sem fins lucrativos

Por isso, desde os primórdios, a Fundação não possui fins lucrativos e é exclusivamente dedicada à fundamentação e ao desenvolvimento da filantropia. A preservação dos valores é, justamente, o principal fator que confere à FUA mais de 50 anos de existência, feito alcançado por poucas empresas, pontua César.

Os outros motivos são a alta qualificação, a competência e a pluralidade de áreas de atuação dos membros do Conselho Superior, bem como do excelente capital humano encontrado nas empresas mantidas pela fundação, elencam César e o presidente do Conselho Superior, Valdir Euclides Buffo Junior.

Os colaboradores são cautelosamente selecionados, a fim de formar uma equipe com os melhores e mais competentes profissionais, enfatiza Buffo. Dessa forma, completa, devido a sua grande capacidade, o time da FUA gera bons e importantes resultados, lhe garantindo ascensão. “A empresa tem, em seu alicerce, as pessoas. E o principal motivo de a Fundação ter alçado esse patamar e ter um futuro promissor é, justamente, o resultado do esforço, da dedicação, da perseverança de todas as pessoas que compõe não somente a diretoria, mas também os colaboradores”, salienta.

Fundação e a pandemia

Por essas razões, apesar das dificuldades impostas pela pandemia de coronavírus, o momento é de comemoração, acrescentam os presidentes. “É uma história de muito sucesso e de progresso, levada a cabo junto com o município. Não há como pensar em Sorocaba sem pensar na Fundação Ubaldino do Amaral”, fala César Ferraz.

FUA completa 56 anos se modernizando, sem esquecer seus princípios estatutários
Valdir Euclides Buffo Junior, presidente do Conselho Superior da Fundação. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (8/6/2020)

A Fundação beneficia, diretamente, diversos setores da sociedade. No âmbito da Comunicação, o jornal Cruzeiro do Sul leva, há 117 anos, em diferentes plataformas, conteúdo crível e de qualidade à população. “Prezamos pela informação com credibilidade e responsabilidade, mantendo o histórico desse centenário jornal”, enfatiza Buffo Junior.

Hoje, a transmissão das notícias tornou-se ainda mais democrática, com a disponibilização gratuita dos conteúdos do jornal impresso no portal Cruzeiro do Sul, bem como nas redes sociais, lembra César, frisando que o alcance do site é de mais de 1 milhão e meio de pessoas.

Em exposição

O trabalho sério desenvolvido pelo jornal já alcançou grandes reconhecimentos. Em 2019, o Cruzeiro do Sul foi um dos 52 jornais centenários participantes da mostra Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural, em Recife.

A exposição era composta por 34 periódicos portugueses e 18 brasileiros. Além disso, recentemente, o jornal foi selecionado pelo Google News Initiative para receber um investimento por meio do fundo de Auxílio Emergencial ao Jornalismo, criado em abril pela empresa para apoiar veículos locais.

No mundo, aproximadamente 5,3 mil redações foram contempladas, sendo apenas 380 no Brasil e 26 no Estado de São Paulo, dentre elas jornais importantes como O Estado de São Paulo, da Capital, e Jornal da Cidade, de Bauru. O Cruzeiro do Sul foi selecionado entre os mais de 12 mil pedidos enviados ao Google, de 103 países.

FUA e a credibilidade

Conforme o presidente do Conselho de Administração, essas conquistas só reforçam a credibilidade e a importância do jornal e da comunicação por ele praticada, inclusive para a formação dos cidadãos. “A comunicação tem caráter de libertação e, também, de educação. Quando o cidadão é bem informado, ele consegue exercer melhor a sua cidadania”, esclarece.

Nesse sentido, a Educação tem a mesma finalidade. O Colégio Politécnico de Sorocaba, mantido pela FUA, participa ativamente do desenvolvimento educacional da cidade. A escola já formou, gratuitamente, mais de oito mil alunos, por meio da concessão de bolsas de estudos, informam César Ferraz e Buffo Junior.

“100% da renda líquida da fundação é destinada a bolsas de estudos para o Colégio Politécnico”, afirma. A qualidade do ensino do Colégio pode ser percebida pelos resultados de tradicionais avaliações, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo César, o Politécnico historicamente ocupa sempre uma das três primeiras posições no ranking das escolas com melhor desempenho no exame em Sorocaba, de acordo com levantamentos de órgãos independentes.

Auxílio financeiro e capacitação

Já o assessoramento às entidades não é feito exclusivamente com auxílio financeiro, mas, sim, pela capacitação. Isto é, elas são orientadas quanto à adequação as normas legais e recebem apoio logístico e administrativo, para poderem solicitar verbas públicas ou, ainda, se tornarem totalmente capazes de buscar apoio para os seus projetos e atividades, seja por parcerias privadas e/ou patrocínios.

Além de entidades mais carentes desse serviço, também são atendidas entidades mais consolidadas, ligadas à Perseverança III, como o Lar Escola Monteiro Lobato de Sorocaba, à Liga Sorocabana de Combate ao Câncer, à Vila dos Velhinhos e à Associação Protetora dos Insanos.

Todas elas possuem importante papel na sociedade e contribuem para dar o título de uma das cidades mais solidárias do país atribuído a Sorocaba, salienta o presidente. “Sem essas entidades, Sorocaba não teria tanta excelência no atendimento ao Terceiro Setor”, opina.

FUA e a sociedade

O presidente do Conselho Superior pontua que, independentemente do setor, todas as ações desenvolvidas pela FUA beneficiam diretamente a sociedade, especialmente a cidade de Sorocaba. Isso porque, complementa, seja na Comunicação, Educação ou assessoramento, os trabalhos colaboram para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

“A Fundação tem esse compromisso muito firme com a cidade, principalmente por meio da Educação, para a melhora na condição de vida das pessoas, de Sorocaba, e da região. Quando um adolescente ou uma criança é bem preparada, instruída e educada no colégio, toda a família cresce junto. Ela exerce uma influência positiva e fundamental no meio em que vive”.

Embora haja a troca de diretorias, cada novo Conselho se encarrega de manter os propósitos e o trabalho de qualidade desenvolvido pela Fundação, afirma Buffo. Segundo ele, o principal objetivo é garantir e preparar a FUA para o futuro, mantendo os princípios da ordem, justiça, fraternidade e liberdade. (Vinícius Camargo)






O post FUA completa 56 anos se modernizando, sem esquecer seus princípios apareceu primeiro em Jornal Cruzeiro do Sul.