Polícia prende 9 suspeitos de participação no roubo a banco em Criciúma

0
141

Prisões aconteceram em Gramado, na Serra, em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, na divisa de Torres e em Três Cachoeiras. Segundo a polícia, 7 suspeitos são de São Paulo e um é de Minas Gerais. Uma mulher já tinha sido presa em São Paulo.

A Polícia Civil prendeu 9 suspeitos de participar do roubo a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma, Santa Catarina. Dois deles foram localizados em Gramado, na Serra do Rio Grande do Sul, na manhã desta quinta-feira (3), segundo a Chefe da Polícia Civil, Nadine Anflor.

Outros seis foram presos entre a tarde de quarta (2) e a madrugada desta quinta, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) em cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Os suspeitos são de São Paulo (7) e Minas Gerais (1).

Na tarde de quarta-feira (2), a Polícia Civil de São Paulo prendeu uma mulher na capital paulista.

Na noite de segunda-feira (30), cerca de 30 pessoas encapuzadas causaram terror na cidade ao roubar o cofre de uma agência do Banco do Brasil. Funcionários foram feitos reféns, vias foram bloqueadas e disparos com armas de grosso calibre foram efetuados. A ação criminosa durou até a madrugada de terça-feira (1º).

Veja mais detalhes das prisões

Na madrugada desta quinta-feira (3), o Batalhão de Operações Especiais (Bope) prendeu um suspeito em uma casa na cidade de Três Cachoeiras (RS), que fica a cerca de 100 km de Criciúma.

No início da tarde desta quarta-feira (2), dois homens foram encontrados em um viaduto da BR-116 em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Eles foram levados até o Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil, na capital.

Os outros três suspeitos foram localizados entre a divisa de Torres, no Litoral Norte gaúcho, e Passo de Torres, já em Santa Catarina. Eles foram levados para a delegacia de polícia de Araranguá, localizada a cerca de 35km de Criciúma.

Também na tarde de quarta, uma mulher de 31 anos foi presa em São Paulo suspeita de participação no mega-assalto. Ela foi localizada, após uma denúncia, no Jardim Reimberg, Zona Sul da capital paulista. Com a mulher os policiais encontraram malotes de dinheiro do Banco do Brasil, que serão periciados.

Resumo do assalto

  • Cerca de 30 pessoas encapuzadas assaltaram uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma às 23h50 de segunda-feira (30). A ação durou 1 hora e 45 minutos.
  • Pessoas foram feitas reféns e cercadas por criminosos; houve bloqueios e barreiras para conter a chegada da polícia.
  • Um PM ficou ferido, precisou passar por cirurgia e segue internado. Ninguém morreu.
  • Criminosos fugiram, e parte do dinheiro ficou espalhada pelas ruas. Valor levado e abandonado não foi calculado ainda.
  • Quatro moradores foram detidos após recolherem R$ 810 mil que ficaram jogados no chão devido a explosão durante o assalto.
  • Criminosos também deixaram 30 quilos de explosivos para trás. Polícia não sabe o total utilizado.
  • 10 carros usados no assalto foram apreendidos em um milharal de uma propriedade privada em Nova Veneza, a noroeste de Criciúma. Nove deles eram blindados. Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), os veículos foram pintados de preto para camuflar.
  • A PM, baseada em manchas de sangue encontradas em dois carros, calcula que dois criminosos tenham se ferido.
  • Em nota, o Banco do Brasil disse que funcionários não foram feridos, que não há previsão para reabertura da agência e que não informa “valores subtraídos durante ataque às suas dependências”.
  • As autoridades de Santa Catarina afirmam que este foi o maior assalto da história do estado.

Deixe uma resposta