R10 planeja a sua história no Galo e afirma que Fla já é coisa do passado

    0
    305

    Ronaldinho Gaúcho, de 32 anos, considera a mudança para o futebol mineiro uma oportunidade de voltar aos melhores momentos da carreira. Quando voltou ao Brasil, para jogar no Flamengo, o atacante não conseguiu reviver os grandes momentos que teve no Grêmio, Paris Saint-Germain e, principalmente, Barcelona e seleção brasileira. Agora, faz questão de ressaltar, com otimismo, o pouco tempo que tem para brilhar no Galo.

    R10 treinou com os jogadores do Atlético-MG e foi apresentado como novo reforço do Galo para o restante da temporada. E sem festa.

    O imbróglio judicial com o Flamengo está longe de um ponto final, uma vez que o clube já anunciou que a sua próxima cartada será tentar cassar a liminar que libera Ronaldinho. Mas o meia mostrou-se tranquilo em sua primeira entrevista como jogador alvinegro, que preferiu não entrar em detalhes sobre a conturbada saída da Gávea. Para ele, o que importa agora é fazer sucesso com a camisa atleticana.

    – É uma nova etapa na minha vida. O que aconteceu no Flamengo é passado. Agora, é uma nova etapa. Estou planejando minha história no Atlético-MG. Tenho um contrato de seis meses, e minha cabeça só pensa em jogar futebol.

    – É maravilhoso chegar com essa idade, com essa experiência, e poder competir no futebol de alto nível. Voltei ao Brasil para conquistar títulos. Tenho seis meses para ajudar o Atlético-MG. Estou focado e só almejando isso – disse R10, que em um ano e cinco meses de Flamengo conquistou o Campeonato Carioca de 2011.

    R10 aproveitou para fazer coro com o presidente atleticano, Alexandre Kalil. Disse que está pronto para atuar já nesta quarta-feira, contra o Bahia, às 20h30m (de Brasília), no Independência, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

    – Estou muito motivado. Se tudo correr bem, e o treinador (Cuca) achar que já posso começar a jogar, minha preocupação é jogar. Estou bem fisicamente. Nenhum problema para jogar.

    Fonte:http://globoesporte.globo.com

    Artigo anteriorCorrida sustentável reúne mais de 1,6 mil atletas na Esplanada dos Ministérios
    Próximo artigoChefe da ONU vê risco iminente de guerra civil em grande escala na Síria