Agência dos EUA declara início do El Niño, que pode provocar calor extremo

0
122

O fenômeno conhecido como El Niño começou nesta quinta-feira (8/6), segundo cientistas do Centro de Previsão Climática da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Com isso, diversas partes do país poderão ser atingidos por alterações climáticas e novos recordes de temperaturas.

“Dependendo de sua força, o El Niño pode causar uma série de impactos, como aumentar o risco de chuvas fortes e secas em determinados locais do mundo”, explica Michelle L’Heureux, cientista do clima da NOAA.

O El Niño é responsável pelo aquecimento das águas do oceano Pacífico, próximo a linha do Equador. Entretanto, os seus efeitos podem ser sentidos em diversas partes do planeta e poderá levar a desastres naturais. Não se pode prever a sua periodicidade.

“A mudança climática pode exacerbar ou mitigar certos impactos relacionados ao El Niño. Por exemplo, o El Niño pode levar a novos recordes de temperatura, principalmente em áreas que já experimentam temperaturas acima da média durante o El Niño”, completa a cientista L’Heureux.

Segundo a NOAA, há 84% de chance de um El Niño de força moderada e 56% de um forte fenômeno se desenvolver no início do inverno no hemisfério norte, em dezembro.

Um dos principais marcos do último El Niño foi a seca extrema entre 2015 e 2016, o que levou ao aumento das queimadas nas florestas brasileiras, principalmente na região amazônica.

El Niño no Brasil

Na região Norte e Nordeste, o fenômeno causa um grande aumento das temperaturas e prolonga os períodos de seca e estiagem. O que poderá desequilibrar a fauna local e registrar um aumento nos incêndios florestais.

Por outro lado, nas regiões Sudeste e Sul, o El Niño gera um aumento na quantidade de chuvas e poderá provocar elevação dos níveis dos rios, enchentes e desmoronamentos.

The post Agência dos EUA declara início do El Niño, que pode provocar calor extremo first appeared on Metrópoles.

Artigo anteriorCampanha de Bia Haddad pode colocar brasileira no top 10 mundial
Próximo artigoTrump diz ter sido indiciado em caso sobre documentos confidenciais